Blogagem Coletiva: "Sobrevivendo ao despatriamento e sendo feliz"

4 de out de 2009

A Ciça não pede, a Ciça manda.
E eu tenho juízo e obedeço! :)

Minha primeira participação em uma blogagem coletiva, com um tema que conheço bem:
Despatriamento, ou expatriamento, multipatriamento, etc.

Morar fora do meu país, longe da minha família, amigos e pessoas que amo, largar um emprego relativamente estável e a profissão para vir viver na Alemanha, como estudante de língua alemã e estar ao lado da pessoa que eu amo e escolhi para passar o resto da minha vida.
Foi mais ou menos assim a minha história.

Nem tudo é fácil, tudo são escolhas na vida. Assim como escolhi largar tudo no Brasil e vir para a Alemanha, também escolhi ser feliz aqui e superar todos os obstáculos que viessem pela minha frente.

O primeiro deles é ocupar o seu tempo. Ocupe-o estudando, lendo, aprendendo o idioma do país que te acolheu, porque isso fará a sua vida muito mais digna e confortável.

Já dizia o ditado popular que "mente vazia é oficina do diabo", portanto coloque a cabeça pra pensar em coisas boas e mãos à obra.

Segundo: não espere que as coisas caiam dos céus. Trace objetivos e vá atrás de concretizá-los.

Respeite as leis e normas do país que te abriga. Não adianta achar que o seu "jeitinho brasileiro" vai resolver tudo, porque não vai mesmo.

Reclamar do frio, da falta de sol, do excesso de chuva, da cara feia das pessoas, do mau humor do vizinho, do fulano que fala alto no trem, do beltrano que não protege a boca enquanto espirra, do cheiro ruim que alguns lugares exalam e etc, de que isso adianta???
O que eu faço diante disso é: está frio - vamos tomar um cappuccino ou um chocolate quente pra esquentar, ou então vamos fugir pra um lugar quentinho (programo férias em dezembro para o Brasil, de quebra já passamos Natal e Reveillon com a família e recarregamos as baterias para aguentar o resto do inverno); temos dias curtos no inverno, mas dias longos no verão; fez cara feia pra mim, eu dou um sorriso de orelha a orelha; vizinho é mau humorado, eu levo doces para adoça-lo... e por aí vai.

Tem coisas no Brasil que sinto falta, mas tem coisas aqui que substituem e sei que quando for embora vou sentir falta de muita coisa que tenho acesso fácil aqui.

Em suma, tudo depende de você, do modo como você lida com sua vida, o modo como você vê as coisas ao seu redor.



O que eu digo sobre mim após esses mais de 5 anos de Alemanha é:
Gott sei Danke, Ich bin sehr glücklich hier!!! :)