Desestressando

24 de jan de 2007

Eu nunca fui de sair dando patadas, de explodir por causa de coisas que não saiam do jeito que eu gostaria.
E eu sempre fui daquelas que querem abraçar a causa e dar conta do recado.
Pois bem, eu me ferrei legal no final do terceiro ano da facul, quando percebi que tinha reprovado numa matéria que não me permitia ir para o estágio no quarto ano, tudo porque resolvi dar mais atenção a um trabalho de grupo e não as provas individuais, sendo que as provas correspondiam à 80% da nota final. Tudo bem que eu só fiquei sabendo disso no último bimestre, quando não dava mais para salvar a lavoura, digamos assim. Putz, e agora?
Na época eu não tinha carro, mas a minha melhor amiga tinha.
Entramos no carro dela e fomos até um lugar onde estavam abrindo um bairro na cidade. Tinha uma ladeira incrível, uma delícia. Descemos em alta velocidade, com as janelas abertas, gritando, mas gritando com vontade.
Era como um grito de liberdade!
E com calma, fui falar com a professora, que me encaixou numa turma especial. E eu consegui fazer a matéria anual em três meses. E assim consegui me formar no tempo regular.
Depois disso, sempre que eu me encontrava em situação de estresse, eu ía lá na ladeira, com a minha amiga, para gritar!
Parece coisa de gente louca, mas que resolve, ah, resolve. Eu recomendo!!

Com o tempo eu fui aprendendo a lidar com esse tipo de estresse e parando de ir na ladeira pra gritar.
A gente vai se acostumando com as adversidades da vida, não é mesmo?
Veja o exemplo dela.
E vam'que vamo...