Desafio - É fato e ponto.

10 de set de 2007

Nossa, quanta poeira.
Os dias voaram. Tenho certeza de que não tive tempo suficiente para fazer tudo que eu precisei fazer nessas 2 semanas que se passaram. E as próximas 3 semanas serão assim também. Ui!

Mas a querida Denise me convidou para escrever sobre 7 fatos da minha vida e eu aceitei. E é um desafio e tanto. Tá mais ou menos como uma retrospectiva da minha vida.
Vamos lá:

1. Me chamo Carolina. Nome comum hoje em dia. Virou Cacá para os meus irmãos (1 irmã e 1 irmão mais novos). Virou Carol para os amigos. Continua sendo Carolina para meu pai e minha mãe. Meu nome foi motivo de muito choro e ranger de dentes. Foi escolhido pelo meu pai. Eu sou a primeira neta por parte de mãe e as minhas tias choraram quando souberam o meu nome, e os meus tios ficaram sem falar com o meu pai por um tempão. A vizinha de meus pais queria me dar de presente de nascimento uma pulseirinha com meu nome, mas a minha mãe dizia a ela que eu não tinha nome ainda (!!), com medo de ela tirar sarro. Eu amo o meu nome, só pra constar.

2. Meus pais se separaram quando eu tinha 14 anos, minha irmã 12 anos e meu irmão 10 anos. Fomos morar com minha mãe.
Aos 17 eu entrei pra faculdade, minha mãe casou-se novamente e meus irmãos e eu fomos morar sozinhos. Aprendi a cozinhar nesta época.

3. Eu queria ser dentista, trabalhar como legista. Segui a minha segunda opção - Nutrição, e me dei super bem. Amo a minha profissão, tenho facilidade em gerenciar pessoas, adoro organizar eventos.

4. Sempre fui boazinha. Sempre agi como se eu tivesse que encontrar a solução para tudo e para todos. Sempre pensei que eu estava errada. Até que o namorado que eu pensei que era o "homem da minha vida" me traiu e eu resolvi fazer terapia. Aos 21 anos e em apenas 2 sessões eu descobri o que eu realmente sou e nunca mais quis ser "A" boazinha e sim EU mesma.

5. A internet: não sei o que seria de mim sem ela. Através dela eu conheci o meu marido, faço novas amizades, mantenho as amizades antigas, fuço, aprendo, leio, escrevo, me ocupo. Amo muito tudo isso!! Quando o meu marido (na época ainda namorado) estava na Alemanha e eu no Brasil, era a internet que nos aproximava. Agora é a internet que me aproxima da minha família e amigos.

6. Aos 26 anos, com a cara e a coragem, larguei tudo para viver um grande amor. Fora do meu país, longe da família, amigos, trabalho. Tracei muitos objetivos, alguns ainda não conclui.
Aos 27 anos, casei-me no Civil, mudei o meu visto de estudante para visto de família.
E com os preparativos a mil para o casamento religioso no Brasil descobri que estava grávida, de 10 semanas!!!
Foi um misto de alegria, susto, nervosismo, choro de felicidade, choro de medo.
Parei tudo sobre casamento e comecei a pesquisar tudo sobre maternidade. E me realizei.
Foi uma gestação curtida, uma delícia.

7. Eu sempre quis ser mãe, mas eu não sabia qual seria o momento ideal para isso. Então eu vejo que foi na hora certa. E eu me surpreendo não só com o meu jeito "mothern" de ser, mas também como o meu marido é um "fathern".
Com a maternidade eu aprendi a desacelerar, a valorizar cada segundo, cada sorriso, a entender o choro, a ensinar a dar e receber amor. Com certeza a palavra família se tornou mais palpável depois que eu tive a minha filha.

*** Eu indico as seguintes pessoas para esse desafio: Rose Foncée, Cris Cerdera, Guga, Ual, Luluca, Kattie e quem mais quiser responder. =]